24.8.08

OLÍMPICAMENTE FAL(H)ANDO...


Não me afecta nada que os atletas portugueses tragam medalhas de ouro ou de pingos de sopa na camisola. Aquilo a que se chama "Jogos Olímpicos" parece-me uma imensa feira que nada tem a ver com o olimpismo ou com o simples desporto. É uma mostra de gente que se profissionaliza em desempenhos físicos desumanos, trabalhando como escravos durante anos para conseguir tirar um décimo de segundo numa corrida. Já não é um ideal a atingir: é uma maldição a cumprir.

Compreende-se muito bem a reacção do velejador português que chorava de frustração porque não chegou à medalha por causa de um ponto. Ou da rapariga que é a melhor a saltar e que, de súbito, fica paralizada e só dá um saltinho. Ou da judoca, habituada a árbitros compreensivos, e que se vê julgada por um alto e impassível funcionário do apito. Ou do "nosso" sprinter maior que desiste na hora decisiva porque o tendão já não aguenta mais esforço.

Impressiona-me ver tanto negro a correr em nome de países para onde emigraram e que se vingam assim da má sorte de terem nascido em África e de viverem em bairros/guetos. Enjoa-me tanta sincronia de ginastas do Leste, de rostos duros, como autómatos, a movimentarem-se em piruetas de circo. Revolta-me ver jogos de futebol olímpico com jogadores altamente profissionais pagos a peso de ouro por clubes milionários à custa de burlas ao fisco.

Um pequeno Portugal a querer pôr-se em bicos dos pés para ser visto no mar de gente da China é uma aberração na qual não me sinto nada representado. Nunca incitaria um filho a deixar de viver para poder estar dois minutos em cima de um pódio a celebrar a vitória conseguida à custa da frustração de dezenas de outros que ficam a chorar pelo caminho.

Pequim, tal como todos os jogos olímpicos da era moderna, não é desporto, é competição selvagem. Com a agravante de ser manifestação de capitalismo puro e duro num país que, oficialmente, ainda desfralda a bandeira do socialismo.

4 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,

longe estão os tempos em que se competia por um pote de azeite , uma coroa de oliveira e fama na cidade natal...
longe a pureza dos objectivos a atingir...
Mas ainda acredito que de entre todos aqueles atletas que se deslocam às "montras" do mundo desportivo...haverá ALGUNS que o fazem pela VERDADE da COMPETIÇÃO!!!!

e, de repente, recordo: "Chariots of Fire"!!!!!

Beijinho.

zct disse...

partilho claramente da sua opiniao...

Estrela disse...

Concordo inteiramente consigo.

Ana Patudos disse...

Como se diz na nossa terra: muita parra e pouca uva.
Estes jogos foram assim e eu também senti o mesmo que o amigo sentiu.
Onde anda o desporto de verdade sem estes lobys que enojam e que se viram neste circo montado na China?
Abraço
Ana Paula