31.8.09

ISTO DIGO EU... (4)


O Bloco de Esquerda é um "partido sem ideologia e sem projecto, que tem vindo a crescer ao colo da comunicação social comandada pela direita económica e política." - diz o Avante.
Portanto, os votos do BE, superiores aos do PCP nas últimas eleições europeias, são resultado da ignorância do povo que se deixa manobrar.
Aliás, essa é a perspectiva do PC sobre a comunicação social. Tudo o que os comunistas não aprovam devia ser banido das televisões públicas porque engana o povo. É assim que têm feito um enorme alarido com o facto de a RTP2 passar agora uma série documental sobre o fim do regime comunista nos países de Leste. Dizem eles que isso se destina a atacar o Partido em vésperas de eleições.
Quer dizer: todo o povo está quase quase quase a aderir ao PCP, a pensar votar no PCP. Mas vem a RTP 2 e transmite três documentários sobre "O fim da Ilusão Comunista". O povo fica desorientado, com medo do papão, e vai a correr votar outra vez nos partidos da direita, que são todos menos o PCP.
Que concepção têm eles do povo!?!?
Pelo menos ficamos informados de uma coisa: quando eles forem poder, acabam com estes documentários. E acabam com os partidos que andam ao colo da direita. E acabam com os "rachados" (como chamam aos dissidentes que deixaram o PCP).
Sem opositores, finalmente, o sol brilhará. Para todos nós?
Até parece que o muro de Berlim aindanão caiu.
Isto digo eu...não sei...

ISTO DIGO EU...(3)

E o CDS?

É o partido da F.S.G.à Q.T.o C.* Não existe. É apenas um estado de alma verbalizado por uns rapazes de direita que confundem Portugal com o galo de Barcelos. Que dão voz aos que nunca aceitaram o 25 de Abril e sempre fingiram aderir ao pluripartidarismo. As pessoas do CDS que eu conheço são dessa casta e não me parece que haja outras.

São um folclore político do SNI, com a ideologia das vozes esganiçadas do antigo Rancho Folclórico de Santa Marta de Portuzelo.

O grave é ver um partido como o PSD, que se reclama de alternativo, já a fazer olhos de galã da Falagueira com a ideia de uma futura coligação pós-eleições com este CDS. E o sr. Portas, sempre com as televisões atrás e com saudades do Jaguar, a mandar mensagens de disponibilidade. Já a ver-se de novo ministro da defesa, a passar por entre filas de homens erectos nas paradas militares. A fazer negócios de submarinos e de aviões.

CDS? Nem me lembrei que existia.

Isto digo eu... não sei!

*Faca Sem Gume à Qual Tiraram o Cabo

30.8.09

ISTO DIGO EU...NÃO SEI... (2)


Como diz o Luís Malheiro no Largo da Memória, parece que toda a gente já foi a votos. E refere a clubite partidária em que parecemos todos mergulhados.
Ontem deu-me para "reflexionar" sobre esta história das eleições mas o telefone tocou, ou foi a campainha da porta, ou alguém que caiu da janela abaixo, já não me lembro. Pronto, lá se foi a reflexionação.
Mas Agosto está findo, os amigos regressam ao trabalho, as semanas galopam e no dia 27 lá estamos com o cartãozinho na mão.
Partido Socialista? Um logro, a começar pelo nome. A forma como tratou os problemas da Educação criou-lhe inúmeros anti-corpos. E o estilo convencido do líder levou a política para o Beco do Fala só".
PSD? Depois do espectáculo do patrão do BPN e do Dias Loureiro, mais o Isaltino e o soba da Madeira, acrescentando agora a senhora de ar sinistro e o Programa-que-pode-caber-numa-A4, é de fugir! Alternativa? A quê?
PCP/CDU? Cantam mas não me encantam. Sei o que significa aquela "solidariedade de classe", como eles dizem. Entre os camaradas reina o afecto mais acrítico, todos são bons. Mas ai dos que não pensam como eles. Sobretudo dos que já pensaram e se foram embora, por vontade própria. Esses são diabolizados, enxovalhados, achincalhados, apelidados de "rachados". Pudessem eles, fossem eles poder, e lá se ia o pluralismo partidário. Lá iam para os manicómios todos os dissidentes. Tiveram 380 mil votos nas últimas eleições mas convenceram-se que têm o povo todo com eles, ignorano os milhões que não votaram neles.
Bloco de Esquerda? A considerar. Trata-se de uma esquerda actual, urbana, mais letrada. Que chateia toda a gente, do PS ao PSD, CDS e PCP. A considerar, por exclusão de partes. Porque não quero votar nulo nem em branco, e não me vou abster. Voto de protesto, inconsequente? Seja!

Isto digo eu...Não sei...

29.8.09

ISTO DIGO EU...NÃO SEI... (1)

A poucas semanas das eleições procuro resposta à interrogação sobre em que partido votar.
Encarei a opção do voto nulo, forma de manifestar repulsa por uma vida política baseada no clubismo partidário. Forma de dizer: não acredito em nenhum! Recuso todos. TODOS!
Mas senti-me mal nessa pele. Salazar manteve o poder sob essa bandeira. Todos os políticos eram maus excepto ele. E os que o apoiavam. Toda a montagem do estado facista foi feita a partir dessa premissa. E veio a polícia política, a censura, a União Nacional, o corporativismo, a Mocidade Portuguesa. Aceites, no início, por grande parte da sociedade portuguesa, saturada por 16 anos de Primeira República com suas clientelas partidárias e lutas insanas.
(...)

Hei-de continuar este "reflexionar" a sós comigo...

26.8.09

IMAGENS DO MEU OLHAR - Azenhas do Mar



Concelho de Sintra, litoral oeste um pouco a norte do Cabo da Roca. Construída sobre arribas rochosas, em parte betonizadas. Ainda não havia o fantasma das arribas instáveis...

Fotos © Méon

O SUCESSO ESCOLAR

(Cartoon de Antero Valério)


Texto lúcido de Venerando de Matos, ao encontro do meu enorme desconforto quando ouvi o Primeiro Ministro e a Dona Lurdes Rodrigues tecerem loas aos professores, depois de um ano a confrontá-los.

24.8.09

DE REGRESSO

Abriram de novos os taipais do PEDRAS ROLANTES
É só entrar AQUI.

O BICHO DA MADEIRA

A.J.Jardim, 22 Agosto 2009:

"Eu não tenho nada contra as opções sexuais seja de quem for. E respeito. Mas também tenho respeito pelos valores de quase nove séculos da pátria portuguesa e este partido a única coisa programática que apresentou até agora foi o casamento entre homossexuais. Isto não é o meu Portugal."
Então, Dona Manuela Leite?

22.8.09

MUDEMOS DE REGISTO.

Da Ana Paula e seu PAUL DOS PATUDOS vêm estes poemas de João Moita, um jovem de Alpiarça que merece uma ampliação de voz. Com um abraço conterrâneo!

X

Não é como se a mão hesitasse no gesto fundador.
O movimento espera que um astro se incendeie
em todos os tendões
para que nenhuma palavra seja o frio nexo da loucura
ou o vento soprado como sangue.
Uma pedra sobre a boca pode ser o único sustento
para essa fome.
Mas a mão que escreve avança como faca
arrancando à garganta o seu êxtase carbonizado.
A violência é a religião de Deus.


XVI

De cada vez que um de nós morre
há uma faca apontada às jugulares:
o silêncio como mantimento.

A morte equilibra-se em nossos corações
com o deslumbramento.

Há-de haver um corpo que transite de alma em alma
e em cujos olhos se alumie a força brutal da mesma vida.
Há-de haver uma voz desvairada que se derrame como napalm
sobre a noite que nos envolve.
Por agora não sei como tocar a distância de onde nos falam.

Autor: João Moita
in : " O Vento Soprado como Sangue"

O PROGRAMA ELEITORAL DO PSD EM "BANHO MANUELA"




O que mais me incomodou na entrevista de Manuela Ferreira Leite?

Como todos os portugueses, estou preocupado com a situação sócio-económica do país. O desemprego; a queda das exportações; a corrupção; a utilização dos cargos públicos como trampolim para as empresas estatais e grandes grupos económicos; as manobras financeiras dos bancos, dos fornecedores de combustíveis (vital sangue económico...) e dos laboratórios farmacêuticos (sangradores impiedosos dos magros proventos dos pensionistas...), que continuam com lucros fabulosos apesar da crise; um sistema de justiça de funcionamento inquietante; reformas na Educação...

Pois a D. Manuela vai resolver tudo com um programa que poderia caber numa folha A4! (palavras dela). Como quem diz: eu sou tão boa que vou resolver isto numa penada! Já está escrito, é só lançar!
Esperava ouvir as grandes linhas definidoras de um programa político que enfrentasse aqueles e tantos outros problemas da nossa vida em sociedade. Mas o que vi e ouvi foi deprimente: questõezinhas politiquinhas, observações de gente da rua em fila de supermercado, queixinhas de falta de liberdade, ela que se cala perante a ditadura do soba da Madeira.
Isto é para levar a sério?
Já agora veja-se ISTO.



20.8.09

GRAU ZERO A4 DA POLÍTICA


Questionada sobre o programa eleitoral do PSD para as legislativas, Ferreira Leite disse que é «sintético» e podia ser apresentado numa folha A4. «Tudo aquilo que lá está é para ser executado», frisou. Ver mais
Primeira-ministra, esta senhora?

IMAGENS DE OUTRO OLHAR

(Foto de ALA)

A Praia de Santa Cruz na máquina de ALA. Imagens fabulosas.
Mais imagens AQUI
Um abraço, Avelino!

17.8.09

LEITURAS


Tive um colega na Faculdade que gostava de mandar umas bocas. Recordo-me de ele dizer "não leio para não ser influenciado". Tirava notas altas nos exames mas raramente o via na biblioteca ou com um livro nas mãos, o que me deixava perplexo, eu que era incapaz de sair de casa sem trazer um livro. Lembrei-me dele ao ler hoje este pequeno texto de Marcel Proust, grande consumidor e produtor de leituras...

A Memória da Leitura
Não há talvez dias da nossa infância que tenhamos tão intensamente vivido como aqueles que julgámos passar sem tê-los vivido, aqueles que passámos com um livro preferido. Tudo quanto, ao que parecia, os enchia para os outros, e que afastávamos como um obstáculo vulgar a um prazer divino: a brincadeira para a qual um amigo nos vinha buscar na passagem mais interessante, a abelha ou o raio de sol incomodativos que nos obrigavam a erguer os olhos da página ou a mudar de lugar, as provisões para o lanche que nos obrigavam a levar e que deixávamos ao nosso lado no banco, sem lhes tocar, enquanto, sobre a nossa cabeça, o sol diminuía de intensidade no céu azul, o jantar que motivara o regresso a casa e durante o qual só pensávamos em nos levantarmos da mesa para acabar, imediatamente a seguir, o capítulo interrompido, tudo isto, que a leitura nos devia ter impedido de perceber como algo mais do que a falta de oportunidade, ela pelo contrário gravava em nós uma recordação de tal modo doce (de tal modo mais preciosa no nosso entendimento actual do que o que líamos então com amor) que, se ainda hoje nos acontece folhear esses livros de outrora, é apenas como sendo os únicos calendários que guardámos dos dias passados, e com a esperança de ver reflectidas nas suas páginas as casas e os lagos que já não existem.
Marcel Proust, in 'O Prazer da Leitura'
Foto Filipa Carvalho, tirada de http://adevidacomedia.wordpress.com/

15.8.09

ELOGIO DA SARDINHA



De óleos fartos
tresandas
assada no peitoril
da janela
ó peixe plebeu
de aroma tagarela

Rechina-te a crosta
escamas salgadas
a dedilhar a brasa
ao carvão

Te uso e besugo
sardinácio peixugo

14.8.09

ELOGIO DA MELANCIA




Líquida generosidade vermelha

carne vegetal

de sementes furtivas.

Te degusto a gosto

e de tanto saborolhar-te

minhas pupilas viram

gustativas.







8.8.09

Raul Solnado - Ida ao Medico

Morreu o homem que marcou o humor em Portugal.
Obrigado, Raul!

ADEUS, RAUL SOLNADO

(Retratado por Maluda)


Vamos ter saudades de Raul Solnado. Não só das suas prestações teatrais mas também das suas tomadas de posição, das suas opiniões, do seu modo de ser cidadão, solidário e interveniente.
AQUI fica um resumo do seu percurso de vida.

ADEUS, Raul Solnado!

4.8.09

LIGAR À POLÍTICA


Desconfio dos que abominam a política. Porque tudo é política, a começar por essa opção de dizer que "detesto a política".

Dito isto, acrescentar apenas que a ausência de política deste espaço tem sido notada por alguns visitantes.

Então voltemos à política, por instantes.

Para dizer que me sinto profundamente descrente nas elites deste país, como a maioria das pessoas com quem falo e convivo.

Acho que a vida política portuguesa está inquinada por equívocos de longa duração.

Vejamos: o Partido Socialista nada tem de socialista, é um típico partido social-democrata e em que têm predominado as tendências de centro-direita.

O Partido Social Democrata nada tem dessa designação, assemelha-se mais a um partido democrata-cristão do tipo italiano, conservador, feudo de barões e figurões.

O Partido Comunista Português vive atrás da cortina CDU e mantém a imagem de ambiguidade de não sabermos o que faria caso um dia chegasse ao poder: respeitaria o pluralismo partidário? A memória dos anos quentes de 74/75 diz-nos que não. E como o PCP nunca renegou essa postura e não perde uma ocasião para afirmar a excelência desses tempos...

Vejo o Bloco de Esquerda como um partido urbano cuja base de apoio é a população mais informada, que sente necessidade de lutar contra as injustiças de um sistema económico iníquo. Tem uma postura de veemência acusadora e declara abertamente que não quer ser poder. Ora, um partido político que não quer ser poder quer ser o quê?

O CDS é o típico partido populista, melga e oportunista. Ainda por cima reduzido a um caudilho-menino-bem-amante -de-Jaguares, com seu séquito de meninos "que vão aos anos uns dos outros"...

Os outros partidos... quais são os outros partidos?


E depois há as figuras do regime: Isaltino de Morais, sete anos de prisão; Fátima Felgueiras, completamente inocente, apesar de fugida à polícia; o soba absolutista da Madeira; o ar patibular de Ferreira Leite; a excelência académica de Sócrates, mais alguns dos seus inefáveis ministros mais os secretários de estado da educação.

E há a maior mistificação política da actualidade portuguesa: o futebol profissional, empresas completamente falidas que subsistem com a cumplicidade do Estado e onde o bom povo português ulula de clubite doentia.


Podíamos continuar aqui, a falazar até amanhã mas não me apetece.
Percebo porque é que Alexandre Herculano decidiu exilar-se em Vale de Lobos a cuidar das suas oliveiras...

Já falei de política. Agora vou tentar arranjar a corda...

HORAS DE BRINCAR





Peço desculpa aos meus amigos por estas "babadices" de avô. Mas como toda a gente conhecida me pergunta por eles... E como estão longe todo o ano, lá para as bandas de Cabo Verde...