29.10.09

PARABÉÉÉÉNNNS A ELES !!!



Que venha o bardo Cacafonix e cante! Mal ou bem, cante! Desta vez não o vamos amarrar no velho carvalho da aldeia gaulesa.

Tem 50 anos esta BD fabulosa. Feitos hoje, 29 de Outubro. Para saber mais: AQUI ou AQUI ou... Há infinitos lugares na net que hoje falam de Asterix e Obelix, os irredutíveis resistentes ao Poder dos mais fortes.


Os grandes criadores: Uderzo e Goscinny (este à direita. Falecido em 1977).
Uderzo, depois de alguma hesitação por respeito ao passado comum com o seu amigo, decidiu continuar a saga.



Há muitos anos conheci um amigo em Beja, o Zé Horta, que dizia que se recusava a ler BD porque era coisa de miúdos. Uma amiga comum ouviu isto e desafiou-o a ir lá a casa, num serão, para conversarem sobre o assunto. À noite ele apareceu e ela pôs-se a ler-lhe um álbum do Asterix. O Zé ainda se rebelou mas lá foi ouvindo e vendo. A meio do Álbum ela fechou-o e disse: "Pronto! Isto não te interessa! Adiante!"
Aí, o Zé Horta já estava apanhado! "Eh pá! Agora quero eu! Isso é muita giro!!!"
Quando saiu levava debaixo do braço mais três ou quatro livros do Asterix...

Mas cuidado, digo eu: aquilo chega a ser viciante!

28.10.09

Kseniya Simonova - Sand Animation

Foi-me enviado este vídeo que circula no youtube há algum tempo. Só uma palavra: IMPRESSIONANTE!

Vinha acompanhado por este texto:




«O primeiro lugar no Show de Talentos da Ucrânia, foi conquistado por
Kseniya Simonova, com muita justiça por esta performance.
Com os seus desenhos na areia, fez a plateia chorar e o júri
ficou visivelmente comovido.
A sequência das imagens, realizada pela jovem artista de 24 anos, descrevem
personagens e acontecimentos que estão na memória de todos os Ucranianos, pois
retratam episódios passados durante a Segunda Guerra Mundial, em que quase
um quarto da população foi morta.

Em frente da câmara, ela lembrou diversas cenas que fazem parte da história
da Ucrânia. Para tal, só usou areia espalhada sobre uma superfície de vidro
iluminada. As imagens resultantes foram projectadas numa tela, para os
telespectadores poderem ver. A sua actuação foi acompanhada de música e à
luz de velas...

Só vendo!

A apresentação de Kseniya Simonova termina, quando ela escreve a frase
"Vocês estão sempre junto de nós" »

27.10.09

A PROPÓSITO DE JOSÉ TOLENTINO MENDONÇA...




CALLE PRÍNCIPE 25


Perdemos repentinamente
a profundidade dos campos
os enigmas singulares
a claridade que juramos
conservar

mas levamos anos
a esquecer alguém
que apenas nos olhou

José Tolentino Mendonça
do livro BALDIOS

AINDA SARAMAGO

No Sábado passado o EXPRESSO publicou um texto em que se relatava o encontro entre José Saramago e o padre/poeta/teólogo José Tolentino de Mendonça. Achei interessante mas soube-me a pouco.
Entretanto um amigo enviou-me a ligação para o Expresso na net, com o texto integral.
Ah! Bom! É outra coisa. Um diálogo interessantíssimo pela vivacidade, pelos sub-temas abordados, pela frontalidade.
Sei que a questão já cansa mas... para quem estiver interessado, aqui fica a partilha.

23.10.09

ESPERANÇA


Maria de Lurdes Rodrigues não deixa saudades. Cometeu um erro crasso: quis mudar a Escola colocando-se contra os professores. Mais tarde tentou emendar a mão mas o mal estava feito. Não é por acaso que dois em cada três professores estava contra ela. Sabendo nós que o grupo docente é maioritariamente do centro político, a oposição tenaz que lhe foi movida foi consequência de uma acção mal conduzida e de uma insensibilidade gritante perante o real funcionamento das escolas. Era sabido, aliás, que Mª de Lurdes Rodrigues nunca dera aulas numa escola pública de 2º ou 3º Ciclos, os graus de ensino que ela afrontou mais.

Isabel Alçada é bem diferente. Tive contacto com ela no início dos anos 80, quando se deslocou à minha Escola ( Prep. P. Francisco Soares, na altura ainda no edifício da 5 de Outubro, aqui em Torres Vedras), onde conduziu uma acção de formação sobre Gestão das Escolas. Na altura ela trabalhava no 2º Ciclo, numa escola de Lisboa, salvo erro a Fernando Pessoa. O seu modo de ser cativou toda a gente. Via-se que vivia o Ensino com paixão. Era profundamente conhecedora do funcionamento das escolas e da legislação labiríntica que a pretende organizar, até porque era Presidente de um Conselho Directivo.
Logo a seguir, era eu delegado sindical da minha escola, vim a encontrá-la como dirigente sindical, onde esteve dois anos, julgo eu.
Tornou-se figura pública como co-autora da melhor série de livros juvenis, "Uma aventura", para além de muitas obras de divulgação histórica dirigidas ao público jovem.
Nestes anos recentes dirigiu de forma brilhante o Plano Nacional de Leitura, que tanto tem feito pela divulgação dos livros no meio escolar, e não só.

Que admira, pois, que eu veja com enorme esperança a sua chegada ao topo do Ministério da Educação?
Estou já a ouvir os opinadores ignorantes destes problemas - com Miguel Sousa Tavares à cabeça - a dizerem que o Ministério vai ficar refém dos professores. A esses digo que a ignorância devia ser conselheira de recato e silêncio, o que muitas vezes não acontece em Portugal, onde ela é senha suficiente para entrar na roda da opinião pública dos meios de comunicação social.
De Isabel Alçada espero competência na abordagem dos problemas, capacidade de diálogo e sensibilidade para as mudanças que é preciso introduzir nas escolas ( no que respeita às questões da autoridade, do rigor necessário à aprendizagem, na responsabilização dos alunos e dos pais...)

21.10.09

VAMOS DIZER NÃÃÃÃOOO ! !




De novo a loucura de mais um campeonato de futebol! Veja-se AQUI.

Em 2004 foi o que foi com o campeonato da Europa: 10 estádios, milhões de euros, a maioria às moscas com encargos mensais incomportáveis. De tal modo que em Aveiro um autarca já propõe a demolição de um deles, verdadeiro cancro financeiro.

Agora o sr. Gilberto Madaíl e o seu homólogo espanhol, com o apoio do secretário de Estado da juventude e do desporto Laurentino Dias ( ver AQUI), apresentam a candidatura conjunta de Portugal e Espanha ao Campeonato Mundial de Futebol de 2018! Estimam-se, para já, 7 /8 milhões de euros de custos iniciais, sendo que Portugal paga 40%. Mas já há quem exija igualdade de responsabilidades - com os respectivos custos, claro! - entre Portugal e Espanha.

Sabe-se que os tão falados retornos a longo prazo são uma treta. Os adeptos de futebol só viajam para seguir as suas equipas, não regressam no ano seguinte para verem os monumentos. E há outras formas mais baratas e eficazes de promover o país.
Quando tanto se discute a construção do aeroporto, da mais auto-estradas, do TGV, da mais uma ponte sobre o Tejo, faz algum sentido andarmos atrás de futebóis? É o sr. Madaíl quem manda no país?

Vamos ficar calados? Vamos aceitar isto?
Acho necessário que a opinião pública se erga contra o desvario desta gente, sabendo nós que os opositores serão chamads de "velhos do Restelo", etc. Mas somos nós que vamos pagar com os nossos impostos os buracos financeiros que eles criam impunemente.

19.10.09

IMAGENS DO MEU OLHAR - Ermida de Nossa Senhora do Socorro

«Quem se desloque pelas estradas dos concelhos de Torres Vedras, Sobral de Monte Agraço ou Mafra, contorna sempre o monte do Socorro, cuja enorme e escalvada massa, coroada pela alva capela, é como que um eixo de toda esta região estremenha. Demais, a extrema dos concelhos de Mafra e Torres Vedras passa pelo cume do monte, dividindo as próprias edificações, donde resulta ficar a ermida a pertencer à freguesia de Enxara do Bispo. [conc. de Mafra]
A vista que do seu eminente eirado se disfruta é como se fora de avião, cimeira aos povoados e vilas e acidentes orográficos, estendida desde Peniche até às torres do Convento de Mafra, que surgem por detrás dos altos cabeços como mastros de um navio a dobrar o horizonte...»
(in Monumentos e Edifícios Notáveis do Distrito de Lisboa, Junta Distrital de Lisboa, 1963)


A ermida é uma preciosidade. De primitiva construção gótico-manuelina, os sucessivos restauros não a desfearam, antes lhe introduziram harmoniosamente diversos elementos decorativos que a valorizam.

Há uma forte tradição religiosa bem visível na afluência de público aos domingos, quando a capela está aberta. Ali perto, uma loja de artigos religiosos vende velas e figuras de cera. A romaria anual é em 5 de Agosto.












Fotos © Méon
Capela de Nª Srª do Socorro. Pormenores.



Retábulo da capela-mor com a imagem de Nª Srª do Socorro




Pintura da capela-mór



Galilé construída posteriormente, com a data de restauro de 1820.


Fotos © Méon 18 OUT 2009

15.10.09

QUAL CRISE? ? ? !


Logo pela manhã fui informado de que a Bolsa de Lisboa abriu em alta!
Há uns meses o Estado deu biliões de € para estabilizar o sistema, os banqueiros agradeceram e tudo volta à doce paz do PSI 20!
Uma comissão propõe que os ganhos sejam tributados, como seria lógico.
A reacção veio de imediato:

« Em 2009, as empresas cotadas do índice PSI-20 ganharam 100 milhões de euros em cada sessão da bolsa de Lisboa. Pela primeira vez desde Junho de 2008, a capitalização bolsista destas empresas atingiu os 70 mil milhões esta semana. O presidente da Euronext Lisboa aproveitou para recusar o aumento da tributação das mais valias, dizendo que poderá "levar a uma deslocalização da indústria financeira para outros mercados".


Miguel Athayde Marques respondeu ao relatório encomendado pelo governo, em que um grupo de peritos defendeu a subida para 20% da tributação de mais valias. "Qualquer aumento de impostos é um desincentivo ao investimento no mercado de capitais", disse o presidente da bolsa na semana em que se atingiram os máximos bolsistas do último ano.

A taxa praticada em Portugal é de 10%, enquanto em Espanha e Inglaterra, por exemplo, atinge os 18%. A perspectiva de aumentar este imposto é encarada com desgosto pelo responsável da Euronext Lisboa, ao afirmar que "a liquidez é muito importante" e que a sua redução "pode levar ao afastamento dos investidores internacionais".

O índice PSI-20 aumentou 40% em 2009 e as empresas mais cotadas representam hoje uma capitalização equivalente a 43% do PIB, enquanto no fim do ano passado não ultrapassavam os 30%. O Diário Económico lembra na sua edição de quinta-feira que a crise na bolsa de Lisboa levou a que deixasse de haver empresas com valor superior a dez mil milhões. Mas a recente subida trouxe a EDP e a Galp de volta a superar essa fasquia.»
(Texto tirado d'AQUI)

13.10.09

LINGUAJAR GUERREIRO


Ainda vamos falando de eleições, naturalmente, sabendo que há mais vida para além delas.

O que me impressionou mais durantes estes meses eleitorais foi a influência cada vez maior dos meios de comunicação social: eles "fazem a cabeça" às pessoas de uma forma avassaladora.

Não acredito em teorias da conspiração ou em capitalistas escondidos nos bastidores a marionetar jornalistas. A coisa é muito mais subtil e tem a ver com modas jornalísticas. É como a calça de ganga rota: no jornalismo da nova vaga todos procuram a metáfora mais vistosa, o lugar comum mais original ( um paradoxo!), o ponto de vista mais irónico ou mais humorístico. Mas, simultaneamente, todos adoptam um linguajar de cruzada guerreira: os adversários políticos "contam as espingardas". Uma autarquia é "um bastião" ou "um reduto", que pode "ser conquistado num último assalto eleitoral", apesar de "inexpugnável". O político é "um guerreiro", ou "um resistente". Nos partidos pode haver "guerra interna pela liderança" e um debate nocturno pode transformar-se numa "noite das facas longas".


Esta formatação mental faz-se sobretudo através das televisões, com os telejornais cada vez mais parecidos uns com os outros, em que à notícia tratada com objectividade se sobrepõe o texto opinativo, superficial e frívolo.


Como reage o bom povo? Os que se empenham na luta partidária caem facilmente no tique clubista, no grito guerreiro do golo metido na baliza adversária. Os outros sentem-se cada vez mais enfastiados e vão-se afastando. A abstenção continua preocupantemente alta.


Entretanto, os políticos especializam-se na arte de diminuir ou escamoterar os estragos e inventam teorias delirantes para justificar perdas eleitorais, como fez Jerónimo de Sousa com a perda de Beja ou Santana Lopes com a derrota em Lisboa...


São impressões muito subjectivas, eu sei. Desabafos. Ao nível rasteiro do modo como se vai fazendo política em Portugal. Estou contaminado, não há dúvida.


11.10.09

JÁ ME ESTRAGARAM O PASSEIO!


Eu que vinha tão contente do passeio pedestre, senti-me esmurrado no peito por esta notícia sinistra, lida no Jornal de Notícias. Escarrapacho-a toda aqui para ajudar a dar o alerta.
As farmácias ganham pouco!...
Os nossos pensionistas, os que mais precisam de medicamentos, são ricos !...
Há que fazer uma redistribuição !


A notícia é esta:

Farmácias vão cobrar testes e conselhos
Associação estuda pagamento de actos farmacêuticos prestados além da dispensa de medicamentos (Ontem)

ALFREDO MAIA


As farmácias portuguesas poderão passar a cobrar actos como o aconselhamento sobre medicamentos ou avaliação de testes ao colesterol, açúcar no sangue e de gravidez. Parece legítimo, mas os consumidores vão pagar mais.
Segundo um estudo de um investigador da Universidade Católica Portuguesa (UCP), Miguel Gouveia, que volta a ser discutido hoje, na 11.º Conferência Nacional da Economia da Saúde, em cada ano são praticados 38,8 milhões de actos farmacêuticos não pagos directamente. Encomendado pela Associação Nacional de Farmácias (ANF), avalia o valor de actos como aconselhamento sobre problemas de saúde e medicamentos, sujeitos ou não a receita médica, medição da tensão arterial e testes ao colesterol, diabetes ou de gravidez, concluindo que valem cerca de 54 milhões de euros, que correspondem a 1,2% das vendas e 20,2% dos resultados brutos das farmácias.


Nas conclusões, antecipadas no congresso da ANF em Novembro, o autor nota que "as farmácias são remuneradas indirectamente pela margem obtida noutras actividades, em particular na dispensa de medicamentos". Mas nota ser "possível especular que a evolução futura poderá ser no sentido de ocorrer uma explicitação (contratualização e custeio) de uma proporção crescente dos serviços prestados".
Significa que a ANF defende o pagamento daqueles serviços? "Temos esse objectivo a médio prazo", diz o seu presidente, João Cordeiro. O assunto "está em discussão. Veremos com o poder político e com os parceiros, com os seguros, com os subsistemas". A ANF quer "evidenciar os benefícios da intervenção farmacêutica", que não se limita à dispensa de medicamentos.
"Ninguém avalia os medicamentos que são desperdiçados, há uma grande quantidade de doentes hipertensos medicados para a tensão e mantêm-na alta. Estas questões podem ser detectadas pelo farmacêutico, que aconselha o doente a ir ao médico e pode fornecer informação ao médico", exemplifica. E sublinha que as farmácias estão mais apetrechadas com quadros licenciados, aptos a prestar serviços ao doente. "O farmacêutico é um profissional de saúde próximo das populações e a sua intervenção está orientada para o doente e não para a mera dispensa de medicamentos", observa o presidente do Sindicato Nacional dos Farmacêuticos. Considerando que este profissional é mesmo "o principal apoio" na "prevenção da doença", Henrique Reguengo defende que a prestação dos serviços deve "atingir gradualmente o reconhecimento merecido, devendo ser remunerada como noutros países europeus".

"Desde que haja uma diferenciação do acto farmacêutico", sublinha o presidente da Associação Portuguesa do Direito do Consumo, Mário Frota. Ex-professor de Direito Farmacêutico na Universidade de Coimbra e ex-vice-presidente da Associação Europeia de Direito e Economia Farmacêuticas, avisa: "O consumidor vai pagar muito mais pelo mesmo serviço" e haverá subversões, como o débito de actos farmacêuticos praticados por não licenciados.
Trata-se "de uma velha aspiração dos farmacêuticos, como especialistas, por excelência, do medicamento, que reclamam uma remuneração autónoma para cada acto, independentemente da dispensa de medicamentos", e "não repugna" que os cobre "face ao valor da sua sabedoria". Tal valor deve ser definido por cada um e não pela ANF ou pela Ordem dos Farmacêuticos, acrescenta o jurista, pois violaria o princípio da concorrência. A ANF ainda não tem ideias sobre condições e preços, mas o estudo referido chegou a estimativas.


JORNAL DE NOTÍCIAS (11 de Outubro)

PASSEANDO PELO OESTE Rota do Castro do Zambujal

Lá vamos nós, na chamada Rota do Castro do Zambujal. Partida: Parque Verde da Várzea. Aqui voltaremos, depois de três horas e meia de marcha para percorrer 14 Km. Somos 50 pedestres!


O caminho ainda era mais ou menos plano. Mas o Oeste caracteriza-se pelas colinas e, lá mais para a frente, vão aparecer algumas rampas bem puxadas...





Ah! As cores das vinhas nesta época do ano!



Vinhedos a perder de vista. Ao longe, o Monte da Pena, próximo do antigo "Sanatório do Barro" ( Hoje é o Hospital António Maria Antunes)


Eu bem dizia: cá está uma das temíveis rampas...


O que vale é que, depois de subir, temos de descer... (Obrigadinho La Palice!)
Olha! O mar lá ao longe!...


Outra rampa! Epá! Esta até tem pedras! E não vejo ninguém!


Olha, lá vão eles!
...Ponho-me a tirar fotografias e daqui a pouco sou agarrado pelo "carro vassoura"!


Ainda tenho de acelerar mais. Mal os vejo!!!!

Cá estão eles, a patinhar na fonte do Convento do Varatojo...
Caloraça!

De novo na Várzea. São 13 h. e 15.
O nosso guia Quim Zé, do Académico de Torres Vedras, faz os exercícios finais para descontrair os músculos.


Pronto, só falta o banho. Acabaram-se as fotos!
O quê? Não há fotos do Castro? Ficam para outra vez. O Castro do Zambujal é um mundo àparte...

10.10.09

NÃO ME INTERROMPAM, ESTOU A REFLECTIR



Dia de reflexão! ( Oh! - dúvida cruel ! )
Entretanto encontrei por aqui estes livrinhos deliciosos que animaram alguns serões familiares, já lá vão uns bons anos. Eram vendidos numa lojinha do Mercado Municipal de Alpiarça, pela D. Branca, que os recomendava porque era a primeira leitora deles.
Alguns ainda estavam dependurados num cordel, presos por uma mola da roupa - daí a "literatura de cordel"... Nesse tempo não havia escaparates, ou expositores...

O "Menino da Mata" era o nosso preferido. Meu pai emocionava-se ao ler aquela passagem em que a velha mulher reconhece que está perante um neto, filho do seu filho António que desaparecera de casa muitas anos antes:

«- Oh! disse a velha, juntando as mãos uma à outra, é elle mesmo. António da Silva era meu filho! o meu unico filho! E morreu elle arrependido dos seus peccados e com confiança no Salvador? Então as orações que por elle fiz foram ouvidas. E és tu seu filho? És tu meu próprio neto? Foi pela benigna Providencia que tu vieste procurar abrigo em casa de tua pobre e velha avó.
Então abraçou-o pelo pescoço e choraram ambos de alegria.
- Na verdade, na verdade, disse Guilherme, logo que poude fallar, este dia é milagroso! Devemos antes dar graças a Deus. E trouxeram-me meus irmãos de tão longe para que eu pudesse encontrar minha avó! De aqui em diante hei de gostar de Piloto mais do que nunca, porque jámais chegaria aqui se elle me não tivesse salvo da agua e combatido aquelle terrivel lobo.» ( escrita sic, com erros e tudo... A edição tem a data de 17.3-1955)

No intervalo destas leituras vou continuar a reflectir... Não interrompam, por favor!

6.10.09

HOJE, ALPIARÇA!

A Biblioteca Municipal, visitada em companhia da minha conterrânea do blogue « Paúl dos Patudos », Ana Paula.
Naquele lugar houve, há muito tempo, um grande terreiro ao ar livre onde vivi inesquecíveis "festas das vindimas". Hoje é um espaço diferente, muito bonito.
Nele se integra o Auditório Mário Feliciano, um jovem encenador de teatro que morreu muito jovem. (Tinha ele 12 anos, eu 16, fui seu padrinho do crisma, num tempo em que acreditávamos em deuses vivos...). À entrada, estas palavras dele:

"A vida, com toda a sua vulnerabilidade, exorcisa tudo, ritualiza tudo e - se, na verdade, a vida é um palco - tudo teatraliza."



Mais adiante a barragem dos Patudos, perto da Casa-Museu de José Relvas. Outro espaço lindo!

Ainda bem que o tempo não parou em Alpiarça...

4.10.09

Mercedes Sosa - Gracias a La Vida

Gracias a la vida que nos a dado Mercedes Sosa!

Mercedes Sosa - Gracias a La Vida

Uma voz única!
Mercedes morreu mas a sua voz permanece!
Quem foi Mercedes Sousa:

Mercedes Sosa (Tucumán, 9 de julho de 1935Buenos Aires, 4 de outubro de 2009) foi uma cantora argentina de grande apelo popular na América Latina. Alcunhada La Negra pelos longos e lisos cabelos negros.
Descoberta aos quinze anos de idade, cantando numa competição de uma rádio local da cidade natal, quando foi-lhe oferecido um contrato de dois meses. Admirada pelo timbre de contralto, gravou o primeiro disco Canciones con Fundamento, com um perfil de folk argentino. Consagrou-se internacionalmente nos EUA e Europa em 1967, e em 1970, com Ariel Ramirez e Felix Luna, gravando Cantata Sudamericana e Mujeres Argentinas. Gravou um tributo também à chilena Violeta Parra.
Sosa interpretou um vasto repertório, gravando canções de vários estilos. Atuava freqüentemente com muitos músicos argentinos como León Gieco, Charly García, Antonio Tarragó Ros, Rodolfo Mederos e Fito Páez, e outros latino-americanos como Milton Nascimento, Fagner e Silvio Rodríguez.
Foi uma conhecida ativista política de esquerda, foi peronista na juventude. Em tempos mais recentes manifestou-se como forte opositora da figura de Carlos Menem e apoiou a eleição do ex-presidente Néstor Kirchner. A preocupação sócio-política refletiu-se no repertório interpretado, tornando-se uma das grandes expoentes da Nueva Canción, um movimento musical latino-americano da década de 60, com raízes africanas, cubanas, andinas e espanholas. No Brasil, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Chico Buarque, entre outros artistas, são expressões da Nueva Canción, marcada por uma ideologia de rechaço ao que entendiam como imperialismo norte-americano, consumismo e desigualdade social.
Possuía um dueto ("So le pido a Dios") com a consagrada cantora de Samba Beth Carvalho, cada uma cantando no seu idioma.
Destacamos também o dueto dela com o cantor cearense Fagner na música Años, sucesso gravado em 1981.
Uma música muito conhecida na sua firme e, ao mesmo tempo, terna voz é a canção "Gracias a la vida", composição de Violeta Parra (In: Wikipédia)

1.10.09

HOJE, DIA INTERNACIONAL DO IDOSO





INTERIOR COM CÃO

A velhice, aprender-lhe esses primeiros sinais
o cabelo «de prata» caindo agora um tudo nada mais
no lavatório ou simplesmente
ao deitar-se na cama o coração «que salta»
a moleza das pernas

não consolação nisto nenhuma
nem um crédito a favor
quando cotejadas as situações
(velhos nos asilos senhoras de preto à esmola
subindo a Rua Garrett)

a constatação dos anos «feitos
entre si para me perderem»
uma quase também
melancolia matadora

toda a máscara sufoca?

mas não para escapar a isto
usei-as talvez

quando me sento
à mesa e vejo aqui diante
do papel branco as unhas devastadas
como por um ácido

dentro do cesto o cão da casa
também já passa manhãs
à espera do sol quente

Fernando Assis Pacheco in
"A MUSA IRrEGULAR"