31.8.10

ASSISTINDO À AGONIA DO SOL...





Foi ontem, entre Santa Rita e Porto Novo, naquele afloramento rochoso que é a eterna dúvida dos limites da terra e do mar. O sol resistia, refugiando-se nas nuvens e nos reflexos das ondas.

Lembrei-me de Afonso Duarte e os poemas de "Tragédia do Sol-Posto":

Mártir-sol, ao crepúsculo, sangrando...
(...)
Oh! velho ocaso! orla dos céus marítima!
Nuvens aos sulcos pelas nossas águas!
O dia é já uma tenebrosa vítima
No coração do Mar, cheio de mágoas.

Fotos Méon

3 comentários:

Avelaneira Florida disse...

SEMPRE, Méon!!!!!
SEMPRE!!!!


Beijinho.

Avelino disse...

Muito boas essas fotos, rapaz Joaquim. Estás a esmerArte...
Abraço
Avelino

Méon, disse...

Olá, Avelã! SEMPRE!


..............................

Avelino: não exageres, isto foi feito com um telemóvel, o milagre deve-se às excepcionais condições de luz, penso eu...
Mas obrigado pelo teu incentivo, tu sim, que és um MESTRE!
Abraço