16.11.11

PAGÃOS INOCENTES DA DECADÊNCIA

(Gauguin)

Colhamos flores, pega tu nelas e deixa-as
No colo, e que o seu perfume suavize o momento -
Este momento em que sossegadamente não cremos em nada,
Pagãos inocentes da decadência.
(Ricardo Reis, Odes)



Repito o último verso - "pagãos inocentes da decadência" - e só me vem à lembrança aqueloutro, de Réné Char: "On nait parmi les hommes, on meurt inconsolé parmi les dieux".
Está aqui toda a condição humana.

2 comentários:

lis disse...

Oi Méon
Quanta beleza nessa "proposta" de Fernando Pessoa ou Ricardo Reis, como preferir rs
" à beira-rio,
À beira-estrada,
Conforme calha,
Sempre no mesmo
Leve descanso
De estar vivendo...." colhamos flores .
Essa serenidade que nos tiram mas forçosamente se mantém Méon.
Pra isso seria bom continuar semeando flores , quem sabe outros irão colher... rs
Méon estou saindo por uma temporada maior,não é bem um descanso, mas uma necessidade de tentar uma reciclagem , assim mais só.
Ao voltar, quero ve-lo de novo, se nao aqui que seja em Torres Vedras , que tal? rsrs
Um bom final de ano, paciencia com a crise já instalada, rs e felicidades amigo, felicidades.
com afeto e abraços

Méon, disse...

Obrigado, minha amiga de além-Atlântico!
Aqui em Torres Vedras? Seria bonito, sim. A nossa casinha ( minha e da Manela) é pequenina mas grande de paz e muito Amor.

Atá sempre, Lis!