23.12.14

A PROPÓSITO DE UMA FOTO ANTIGA

Um dia fiz de barbeiro do séc. XIX...




E ao fim do dia
a matéria de que se faz a minha vida
de novo abandonada
de novo de novo abandonada
pergunta-me silenciosa
se ao apagar da luz
a vida terá princípio.

Pedro Támen, O Livro do Sapateiro
Publicações Dom Quixote, Lisboa, 2010




4 comentários:

Albertina Granja disse...

É uma bonita foto e certamente uma boa recordação...!!!
Como barbeiro não está nada mal....
AG

Jose Patricio disse...

Pareceu-me que não eras tu, mas ao mesmo tempo...
JL

Joaquim Cosme disse...

Mas o barbeiro é mesmo o Moedas? E quantas moedas o cliente pagava por uma barba bem feita?
Joaquim Cosme

Joaquim Moedas Duarte disse...

Olá, Joaquim C.
Sim sou eu, sem óculos e com o ar façanhudo de um barbeiro do sé. XIX, daqueles que também arrancavam dentes.Eh! Eh!
Isto passou-se numa filmagem feita na Quinta da Macheia para um anúncio da Pera Rocha. Ao fundo está a Manela, a desmanchar um coelho. Era um cenário de aldeia oitocentista, no tempo das invasões francesas. Isto foi feito há três ou quatro anos.
Estive para ganhar o Óscar do melhor barbeiro da Quinta... eh! eh! eh!