4.7.09

O SENTIDO NORMAL DAS PALAVRAS



O sentido normal das palavras não faz bem ao poema.
Há que se dar um gosto incasto aos termos.
Haver com eles um relacionamento voluptuoso.
Talvez corrompê-los até a quimera.
Escurecer as relações entre os termos em vez de aclará-los.
Não existir mais rei nem regências.
Uma certa luxúria com a liberdade convém.


Manoel de Barros, in “O Guardador de Águas”
(Poema enviado por Cid Simões)

2 comentários:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui em visita ao seu blog! Abraços Ademar!!

Avelaneira Florida disse...

Méon,

e o principal das palavras é elas existirem sem complexos, sem estreitezas de pensamento.

Quando nos assenhoreamos das palavras e as encerramos nelas próprias , o pensamento perde a LIBERDADE!

Beijinho.