6.1.09

LER


Editorial do DN, hoje:

(...)
«Já a notícia de que, na última quadra natalícia, aumentou a venda de livros, e, em particular, de livros de autores portugueses, é, seguramente, uma boa surpresa. Porque é sempre muito difícil triunfar num mercado apertado pela falta de hábito arreigado de leitura entre os portugueses, o que produz edições de volume reduzido, aumentando, assim, os custos de cada exemplar de um tipo de bens caro, em termos relativos, para o poder de compra que temos.Quando olhamos com admiração para as tiragens de jornais e volumes das edições de livros nos países nórdicos, não esqueçamos que nos princípios do século XIX a Igreja Luterana impunha a literacia aos casais que quisessem ver o seu casamento formalmente celebrado, para estarem em condições de ler a Bíblia em família. Em Portugal já houve um tempo em que se acusava de heresia quem fosse apanhado com a Sagrada Escritura em casa. Mas os tempos mudam: o Plano Nacional de Leitura vai-se implantando nas escolas deste país. A sementeira dará os seus frutos. Tarde, mas dá.»
Diário de Notícias, 6 JAN2009

A causa principal do insucesso escolar dos nossos alunos - que ainda ontem o 1º Ministro atribuiu aos professores - é essa mesmo: em Portugal a maioria das famílias não tem livros em casa, ; e só agora se começa a ler mais.
Há poucos anos a Bíblia que se lia nas famílias católicas era uma edição depurada, reduzida a episódios escolhidos segundo as normas moralistas do Estado Novo.
Era vulgar ouvir dizer: "Letras são tretas".
Quando escolhi cursar História ouvi muitas vezes a exclamação: "Letras! Isso serve para alguma coisa?"
Não é por acaso que os países nórdicos são o que são. Lá, a Reforma Protestante abriu portas de literacia que só há poucas décadas Portugal começou a transpor.
[Entretanto, por cá, a Reforma Protestante continua a ser incompreendida e denegrida, como se a verdade histórica tivesse sido definitavamente esclarecida com o Concílio de Trento (1545-1563).]

3 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,

resta saber até que ponto os livros comprados são REALMENTE lidos!!!!
Esperemos que o sejam!!!! Que não fiquem apenas pelas estantes para dar "ares" ou porque se não pode comprar outra prenda...
Mas seria curioso saber, já que estamos em maré de estatísticas, quantos desses livros forma adquiridos por jovens?

Boas Leituras, SEMPRE!!!

Beijinho.

Fernando Santos (Chana) disse...

Caro amigo, completamente de acordo com seu post...
Um Abraço de Alpiarça

Gasolina disse...

O teu texto teve o poder de me avivar a memória e fazer-me sorrir.

["-Andas a tirar o quê, afinal?
- Estudos Portugueses...
- Estudos, QUÊ? E isso serve para quê?"]

Pois é.

Ainda se ignora que saber é poder. O acesso à leitura continua a ser "vedado" por uma crise que não se compadece com o alimento do estomago e o do espirito.

Há que insistir, falar, escrever, publicar palavras como as tuas. Ao rodar do tempo alguém as ouve...

Um beijo.