14.7.08

Pão de palavras


A pão sabem as palavras,
quando a brisa do sul nos roça a cara.
Seguro, nas duas mãos, as tuas mãos
e sob o peito (o teu, o meu), alastram ramos
transparentes que sustêm, na casa,
a trave-mestra, como se a raiz
de cada árvore nos amarrasse
as veias ao destino do coração.

Graça Pires
in: Cem Poemas Portugueses no Feminino
Ed. Terramar, Lx.,2005
Foto (C) Méon

7 comentários:

Um Poema disse...

Boa escolha, este poema de Graça Pires.

Obrigado pela visita.

Um abraço

Elsa Martinho disse...

Este poema é muito bonito, aliás como todos os de Graça Pires.
Bom gosto na escolha.

Um abraço.

avelaneiraflorida disse...

Méon,

já tinha deixado este poema no meu cantinho!!!!
Mas não com esta FOTO!!!!!
"BRIGADOS"!!!!

Beijinho.

Méon disse...

"um poema":

Obrigado também!

Méon disse...

elsa:

Este pão é para repartir. Obrigado por levar o seu quinhão...

Méon disse...

Avelã:

Foi através das palavras que aprendemos a saborear o mesmo pão...

Paula Raposo disse...

Gosto dos poemas da Graça Pires, a quem visito regularmente. Este não é excepção.