22.10.08


PLENITUDE

Sorri, sorriste. O Mundo era pequeno.
Mas bastava. Cabia nele, intacto,
o encantamento pleno
que te detinha ali, junto de mim,
que nos detinha ali, serenos, puros,
longe da multidão, longe do tempo
- rio que passava ao largo e nós ficávamos.

Sebastião da Gama, in Campo Aberto
Imagem daqui

2 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,
e nesta "Plenitude" cabe inteira a voz do poeta:

"Encontro de duas mãos
que procuram estrelas,
nas entranhas da noite!"

Encontro de duas mãos
Juan Ramón Jiménez

Méon, disse...

As mãos são pontes que ligam as duas margens da ternura.
Obrigado.