12.3.09

"NUNCA MAIS"




Talvez a folha que ali vai no vento

Te volte aos ramos, árvore que choras...

Não voltam as que levam o esquecimento!

São as folhas do tempo, são as horas.


A folha que revoa pelos rasos

Nas asas dos tufões é feliz, ela!

Que até desfeita em pó, nos seus acasos,

Pode às vezes o vento ali trazê-la;


E pode, entre as raízes do arvoredo,

Ir na seiva do ramo onde nascera,

Tornando a ser ainda, tarde ou cedo,

Nova folha de nova Primavera.


Mas quem me dera a mim achar no vento

Em horas de saudade, em horas tristes,

Um pó que fosse vosso, um só momento,

Folhas do tempo que a voar fugistes!...

(Fernando Caldeira)

Foto (C) Méon

2 comentários:

Azul disse...

Olá. Isto é tão belo, tão belo...

nada mais me legitimo a dizer-lhe, a não ser que lhe estou grata (uma vez mais) por estar aqui... Este seu canto, traz-me na maioria das vezes em que o visito, a tranquilidade da sabedoria que procuro.

Um abraço. Até breve. Azul.

Avelaneira Florida disse...

Méon,

e as folhas voaram para o seu leito de terra...
em breve aí estarão, primaveris, todas as flores!!!!!

Beijinho.