19.9.09


Não se trata de uma velhota que decide escrever memórias quando entrou na fase da solidão. Pelo contrário. A nossa colega professora, Isabel Pereira Rosa, nascida em 1954 no concelho do Cadaval, entendeu dar testemunho da sua vida profissional enquanto está em boas condições de o fazer. Aproveitou a aposentação induzida pelo governo Sócrates - que atingiu muitos outros professores com a sua política agressiva e injusta - e escreveu memórias com a convicção de que poderiam interessar a algúem: "talvez a colegas, a alguns ex-alunos, amigos, familiares, e a quem, menos informado sobre o que se tem passado, de facto, na educação, queira ficar mais esclarecido."
Interessam, sim senhor, colega Isabel! Para que não se perca a memória. E também como incentivo para aqueles que continuam a exercer corajosamente a dura tarefa de ser professor.
Que melhor local para o lançamento do livro?
Pois foi na Biblioteca Municipal do Cadaval, acabadinha de inaugurar meia hora antes!
Agora vamos ler...

5 comentários:

Avelaneira Florida disse...

Méon,

também quereria estar a escrever algo desse género...

mas, por este andar, vão faltar "milhões" de anos!!!!

beijinho.

Clotilde S. disse...

Será sem dúvida, um belo e enriquecedor testemunho.:))

Obrigada pela partilha desta informação e parabéns à autora.

Um abraço,

Clo

Pereira disse...

Obrigada, Joaquim, pela sua presença ontem, pelo simpático comentário e também por nos brindar com o belo poema de Manuel Bandeira.
Obrigada também à Clo.
Um abraço
Isabel Pereira Rosa

Silvana Nunes .'. disse...

Muito interessante o seu espaço. Estou com um pouco de pressa - vou sair. Quando voltar, prometo estar de volta com mais calma.
Convido-o a conhecer o meu cantinho FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... em http://www.silnunesprof.blogspot.com

Saudações Florestais !

Lilá(s) disse...

Obrigada pela informação, é claro que vou ler.
Bj