31.7.10

IMAGENS DO MEU OLHAR






CASTELO DE TORRES VEDRAS A DUAS VOZES



CASTELO
Cá do cimo vê-se o mundo
sem começo nem fim,
só memória de memórias, gente

descendo a calçada de saída para o sul
por um palmo de terra, um sopro mais.
Daqui um homem sonha com o que há

para sonhar, uma ave que partiu, uma voz
esquecida, o chão cansado que respira.
É aqui que a mãe diz ao filho já crescido

a pátria é este largo cimeiro, onde a boca
arde e volteja. E no mesmo tom acalenta
na minha pele passa a saudade

quando por becos e vielas sinto
tudo branco e leve, uma janela aberta
para os sentidos. Ao largar a alma

junto ao portão manuelino fico
tal como sou, uma toalha dobrada,
às vezes estendida em sítio nenhum.

O castelo é feito de vozes, restos de muralha,
um torreão, ficções,
pedra antiga que jamais se ouve,

uma bandeira que nos diz foi aqui
o nunca visto, um pulmão no ar, porque é no ar
que tudo acontece e oscila e parece.

(Luís Filipe Rodrigues)

CASTELO

De quantas pedras é feito
este arrostar de séculos
onde os guerreiros
de passadas lutas

nada mais resta que este resto
fincado no chão

ruína silêncio vento

castelo desarmado
pelo tempo.

(Méon)

4 comentários:

Andradarte disse...

É triste o estado em que se encontra...
Que pena...mas não vejo jeito....

Abraço

Méon, disse...

Obrigado pelas suas visitas, amigo.

Este postal sobre o castelo é um exercício engraçado: dois amigos propuseram-se escrever um poema sobre o tema "Castelo de T Vedras".
Quanto à sua preservação, sabemos que há um projecto da Câmara.
Aliás, a nossa Câmara tm muitos projectos para os nossos monumentos.
Projectos... para nos irmos calando.

Méon, disse...

Já agora: quando tiver um tempinho, visite o blogue da Associação do Património de T Vedras, uma associação privada e movida apenas pelo amor ao nosso Património:

http://patrimoniodetorresvedras.blogspot.com

Obrigado

Abraço

Lilá(s) disse...

Que pena tenho que no nosso país pouco se preserve.
Bjs