19.4.09

É LARGA ESSA EXTENSÃO



É grande o mar. É grande
a foz central da nossa vida
quando amados somos
e em rumor de afecto flutuamos;
ou quando, poderosa e nítida,
é vasta a labareda percutida
em nosso corpo, ó campo
de cíclames!

É larga essa extensão
que vai das mãos às mãos,
do vulto das boninas
ao suave grude da memória:
a que guarda, em frágeis
desenhadas ânforas,
o sumo de altos cerros
ou o sossego cálido de planícies
com um bafo para sempre perdurável!


João Rui de Sousa, in QUARTETO PARA AS PRÓXIMAS CHUVAS,
ed. Dom Quixote, Lisboa, 2008


Fotos (C) Méon

3 comentários:

Clotilde S. disse...

Belíssima escolha para um domingo.

Um abraço

Avelaneira Florida disse...

Méon,

"perdurável"sim, SEMPRE!!!!!

O poeta escolhe o sentir de uma forma única!!!!!!
Assim, muito mais facilmente somos capazes de nos identificar...

Beijinho.

Cs disse...

Boa poesia. Não conhecia o poeta. Obrigado.