9.5.09


«Muitas coisas parecem maiores quando pensamos nelas do que quando com elas deparamos» (Montaigne).

A realidade é sempre diferente da sua representação. Por isso temos tanta dificuldade em lidar com ela. Se a confundimos com o sonho o mal não será grande e a nossa existência parecerá mais risonha. Porém, se a substituirmos pelos nossos desejos, estaremos no caminho da frustração. E se a impusermos aos outros, mostraremos como começam as ditaduras...

Proibir as touradas? Claro! Mas então que se proibam também os filmes violentos! E os jogos de computador baseados no extermínio! E os desenhos animados de violência cómica! E a Coca-Cola que é violenta para o estômago! E as calças femininas de cós rebaixado! E os carros topo de gama que violentam o nosso sentido de justiça!

Proiba-se tudo! Talvez voltemos ao paraíso português dos anos 60, de que parecem ter saudades velhos tontos e novos ignorantes!

3 comentários:

Domenico Condito disse...

Olá!

É com todo o gosto que informamo-lo que tem um prémio no nosso blog calabro-lusofono “Utopie calabresi”: http://utopiecalabresi.blogspot.com/2009/05/utopie-calabresi-ha-ricevuto-il-premio.html

Parabens!!

Com amizade

Avelaneira Florida disse...

Méon,

Proibir significa dar acesso livre à contravenção!!!!

O pior das proibições é que muitas vezes são o resultado de pontos de vista muito estreitos...

No entanto, numa sociedade sem proibições, poderia correr-se o risco de se desrespeitarem ainda mais os direitos individuais...

Sobre as touradas...tenho algumas dúvidas. Quem defende a abolição do " sofrimento do touro" , também defende as várias formas de "sofrimento humano" todos os dias se vive no planeta terra? Ou é apenas uma "moda"??

Beijinho,menos constipadito!

alcinda leal disse...

Concordo contigo!
Entra-se em exageros desnecessários!
Bom fim de semana!
Um beijinho
Alcinda