19.5.10

SAUDADES




The Waiting Morteza Katouzian (1982)



Saudades de tudo!

Saudade, essencial e orgânica,
de horas passadas,
que eu podia viver e não vivi!...
Saudade de gente que não conheço,
de amigos nascidos noutras terras,
de almas órfãs e irmãs,
de minha gente dispersa,
que talvez até hoje ainda espere por mim...

Saudade triste do passado,
saudade gloriosa do futuro,
saudade de todos os presentes
vividos fora de mim!...

Pressa!...
Ânsia voraz de me fazer em muitos,
fome angustiosa da fusão de tudo,
sede de volta final
da grande experiência:
uma só alma em um só corpo,
uma só alma-corpo,
um só,
um!...
Como quem fecha numa gota
o Oceano,
afogado no fundo de si mesmo..."

Guimarães Rosa

2 comentários:

Andradarte disse...

Guimarães Rosa, era um grande
Poliglota.....,ou não era esse??
Abraço

Méon, disse...

Sim, é o grande escritor do sertão brasileiro, que trouxe para a nossa língua muitos vocábulos populares, renovando-a erevitalizando-a. A sua obra mais citada é "Grande Sertão: Veredas".
Mia Couto, Pepetela e tantos outros que nos habituámos a ver como os granjeadores de neologismos a partir de falares nativos, são continuadores de Guimarães Rosa, que morreu nos anos 60.

Obrigado pela sua visita.