29.4.11

MONARQUICES...

(Reis do Carnaval de Torres Vedras, na varanda dos Paços do Concelho)



... enquanto a TV mostra os vip's a entrarem na vetusta Abadia londrina.

1. Liguei a tv e que vejo logo a abrir, na RTP? No jardim do Palácio Nacional de Queluz, José Rodrigues dos Santos a entrevistar o cidadão Duarte Nuno ( que se diz pretendente ao trono português). Vestido a rigor, como se estivesse na Abadia de Westminster, o "orelhas" interroga o tal cidadão, a quem trata por "D. Duarte": "O que mudaria em Portugal se fosse rei?", "Acha que a situação de Portugal seria a mesma se houvesse monarquia?"
E o homem lá foi dizendo que não senhor, a situação em Portugal não chegaria a este ponto porque ele defende há muito um modelo de desenvolvimento muito diferente. "Qual?" E ele diz que "daria prioridade à formação das pessoas e ao desenvolvimento das estruturas... da Justiça... da Educação..." Ena!

2.  E lá vão os dois para uma sala do Palácio de Queluz, onde ficam à conversa com outros cidadãos, "especialistas de protocolo / ou de famílias reais". Que significa isto?

3. José R. dos Santos ainda pergunta "se o senhor fosse rei, deixaria a situação política portuguesa chegar ao que chegou?" E ele respondeu que "não, não chegaria, porque o papel de um rei é criar consensos". E deu como exemplo o caso da Bélgica que está sem governo há dois anos, "onde a administração funciona com a ajuda do rei..." Mas Rodrigues dos Santos não lhe perguntou porque é que o rei não conseguiu os consensos necessários para a formação do governo...

4. Ficámos a saber que o cidadão Duarte Nuno não foi convidado para o casamento. Mas o presidente Obama também não foi, tal como os primeiros-ministros trabalhistas da Inglaterra... - explicou um dos especialistas. Olha, mas o Elton John foi convidado! E o Mister Bean! E o futebolista Beckam! E ....

5. Alguém se lembrou de ir à terra natal da noiva. O repórter pára junto de um carpinteiro que prepara uma mesa para as festas e pergunta: "Então está satisfeito com este grande acontecimento?" E o homem, de martelo na mão: "Nem por isso... Já me casei há muito tempo!..." Ah!h!

6. Com o devido respeito pela legítima fé de muitos monárquicos que não se conformam com o 5 de Outubro, a monarquia é inviável em Portugal porque  se radicou na consciência colectiva a recordação de sete séculos de cortesanismo, com uma população na miséria, uma classe nobre venal e uma burguesia com inveja da nobreza; uma mentalidade subserviente da parte dos áulicos do regime - que sempre eudeusaram os reis, indo ao ponto de se ajoelharem diante deles e de fazerem do beija-mão a cerimónia preferida dos actos públicos.
Parece-me que esta mentalidade continua bem presente nas páginas das revistas sociais que por aí se publicam e nos comentários dos rodrigues dos santos ... nada que se pareça com o humor britânico, sempre pronto a demolir poses pretenciosas.

Vamos lá então ver o espectáculo!

2 comentários:

Lis disse...

Oi Méon
Estou cá rs vendo o espetáculo ,logo cedinho.Tudo muito bonito bem protocolar sem a fleuma típica dos casamentos e fico a imaginar onde está o povo? os plebeus?nao os vejo rs
Imagine uma festa dessas por aqui nessa terra tupiniquim ...
e a Tv se curva toda a essas excentricidades britânicas como se o mundo nao girasse lá fora e girasse mal. Vai entender!
gosto dessa futilidade e do prazer de iniciar o dia apreciando os chápeus (uns bem feios) das mulheres todas rsrs

gostei da "Monarquices" Méon

abraços

Andradarte disse...

Até Rodrigues dos Santos se presta a estes papeis..Há que defender 'o nosso'..
Abraço