15.5.11

AINDA MANUEL ANTÓNIO PINA






Esplanada

Naquele tempo falavas muito de perfeição
da prosa dos versos irregulares
onde cantam os sentimentos irregulares.
Envelhecemos todos, tu, eu e a discussão.

agora lês saramagos & coisas assim
e eu já não fico a ouvir-te como antigamente
olhando as tuas pernas que subiam lentamente
até um sítio escuro de mim.

O café agora é um banco, tu professora de liceu;
Bob Dylan encheu-se de dinheiro, o Che morreu.
Agora as tuas pernas são coisas inúteis, andantes,
e não caminhos por andar como dantes.

Eduardo Prado Coelho, no livro A POESIA ENSINA A CAIR:

"Manuel António Pina é certamente um dos nomes fundamentais da actual literatura portuguesa."

"... parece-me um dos autores contemporâneos que mais explicitamente parte de Pessoa."





1 comentário:

BRANCAMAR disse...

Belíssimo!

Parabéns ao Manuel António Pina pelo Prémio Camões. Há muitos anos que conheço a sua escrita no Jornal de Notícias e na Notícias Magazine, mas confesso a minha ignorãncia quanto à sua literatura maior.

Como dizes em baixo: "Ainda bem que há prémios literários..."

Um abraço.