23.12.09

POETA, BEM-VINDO!

Fernando Jorge Fabião deixou dois poemas à minha porta.
Bem-vindo, Amigo!Partilho aqui a tua bela prenda de Natal.





O movimento lento da câmara
a partir do céu:
- casas sitiadas pelo abandono
sebes, cancelas de madeira
a solidão rumorosa dos salgueiros.

A criança
- o verde não é meu é de quem o apanhar.

Ama-se o frio
como quem transpõe os umbrais de luz
e anuncia o amor.






A LINGUAGEM É UMA PELE


Aprendemos a vocação das aves
porque nem sempre voar é assunto de ave


as coisas mudam de cada vez que olhamos
para elas


basta alguém querer regressar à inocência
a essa parte intocável do texto
para que o olor      outro alvoroço
ilumine o olhar.


Escrevemos na parede interior dos pulsos
a linguagem é uma pele.


Foto © Méon (capitéis do Castelo de Leiria)

3 comentários:

Avelaneira Florida disse...

Méon,

com a poesia de Fabião o Natal está em nós cada momento de cada dia!
A poesia de Fabião é sempre uma FESTA do sentir!!!!
"Brigados" pela partilha!!!

Beijinho.

Brancamar disse...

Méon,

Há tanto queria passar por aqui.
Há tanto tenho andado com o tempo limitado, mas não podia deixar de vir desejar-te um Natal Feliz e linkar finalmente o teu lugar para que não o volte a perder de vista.
O Fernando Jorge Fabião deixa sabedoria nos seus versos, imensa...porque "a linguagem é uma pele".

E a tua fotografia é lindíssima.
Tudo de bom para ti nesta época e em todos os dias do ano.
Beijinhos
Branca

Fernando Santos (Chana) disse...

Bela poesia...Espectacular....
Votos de BOAS FESTAS....
Um abraço conterrâneo