11.3.11

COMUNIDADE DE LEITORES



Vamos falar de O LEITOR, no próximo dia 17 de Março, na Biblioteca Municipal.

Leio na LER nº 100: "Os escritos dos génios constituem o melhor caminho rumo à sabedoria, que é, creio eu, a verdadeira utilidade da literatura para a vida." - frase de Harold Bloom, que subscrevo, apesar de duvidar da perspectiva utilitária em que ele se coloca.
B. Schlink não será um génio mas escreve muito bem.
Mas o que é isso de escrever bem?
Para mim é a capacidade de um escritor me desvendar, dizer o que sou, surpreendendo-me pela forma e pela intensidade com que o faz.
Encontro isso nas páginas deste livro.

"Não que me tivesse esquecido de Hanna. Mas a partir de um certo momento a sua recordação parou de me acompanhar para todo o lado. Ficou para trás, como fica uma cidade quando o comboio parte. Ela está lá, algures atrás das nossas costas, e poder-se-ia apanhar outro comboio, voltar lá e assegurarmo-nos disso. Mas para quê?"

2 comentários:

redonda disse...

Gostei muito deste livro. Depois de o ler, já não quis ir ver o filme.

Méon, disse...

Estou a acabá-lo. Gosto de ler devagar. Ou melhor: não sou capaz de ler mais depressa...

É uma escrita que nunca vai pelo caminho do óbvio. Surpreende-nos a cada passo.
Ainda não sei como esta história acaba e isso é uma das maravilhas da leitura, como sabe...