13.3.11

IMAGENS DO MEU OLHAR - Terras do nosso Oeste

Numa rua da aldeia de Ordasqueira. Ao longe o Monte do Barrigudo e o edifício oitocentista do Asilo de Inválidos Militares de Runa





Ruínas de uma antiga Quinta na Ordasqueira


 



Da mesma Quinta




Uma das casas da Quinta do Juncal, em Matacães


Moinho recuperado na Serra de S. Julião, na freguesia da Carvoeira

4 comentários:

Andradarte disse...

É uma chamada de atenção...?????
Abraço

Méon, disse...

Caro Andradarte:

Não, não pus aqui estas fotos com intuitos de "chamar a atenção". Foi antes com aquela desalentada resignação que me toma por vezes, face à decadência e abandono de tantos lugares que outrora tiveram vida.

Vou pôr algumas legendas...

Joao de Sa disse...

Caro Amigo,tem toda a razao... alem das fotos serem de muito bom gosto e qualidade, tem no fundo uma historia que pertence ao passado e presente de muita gente que por la passou e que por la ainda vive. Pena que as pessoas nao deem valor a natureza, ou a arquitetura portuguesa que nos rodeia por todo o lado. Que muita gente trabalhou arduamente para conseguir erguer estes belos monumentos, com suor e carinho... E que hoje ninguem para, para olhar e apreciar o que foi feito!. Por isso as pessoas se sentem vazias e nao sabem porque? Se a vida nao for compreendida de uma certa maneira,ninguem consegue se sentir feliz ou realizado. Pois no fundo o saber respeitar o trabalho dos outros, e saber dar valor ao que nos rodeia e um merito e uma honra, que muitos poucos tem, ou que passa despercebido a muita boa gente.
Vivi em Ordasqueira muitos anos, meus pais ainda la vivem, e muitas vezes paro a apreciar essa maravilhosa vista sobre os montes, e de algumas casas antigas que por la existem com uma arquitectura bem deslumbrante. Pena que esses pequenos palacios nao estejam a venda, pois as pessoas preferem deixar estragar a dar alguem para tomar conta e restaurar esses pequenos tesouros que se estao a desmoronar... Devo dizer que qualquer lugar e lindo, quando a gente se encontra no que gosta , ou souber apreciar a natureza.
Abraco

Joao de Sa

Méon, disse...

Caro João de Sá

Obrigado pelas suas judiciosas considerações. Concordo com o que diz.
Partilhamos o mesmo amor pelo nosso Património.

Outro abraço