24.11.07

(Foto Horace C. Pier)



ZERO
Igual a zero a distância ao infinito
Impossível de tocar com nossos braços
Valores estranhos aos corpos
ignorados noite e dia
Zero a distância
zero o próprio espaço
Para quê voltar aos caminhos sem regresso
quando nossas mãos agarram toda a vida?
(Eduardo Guerra Carneiro)

2 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,
Meu Amigo

Eu que sempre me "desentendi" com a Matemática...encontro aqui o perfeito entendimento!!!!
"BRIGADOS"!!!!!!

Méon disse...

O zero, que pode ser tudo... que pode ser nada...numa matemática dos sentimentos.