23.11.07

MEMÓRIA: FOI HÁ 200 ANOS


Embarque da Família Real para o Brasil. Com ela "fugiram" cerca de 15 000 pessoas, a elite do país...






NOVEMBRO DE 1807:
PRIMEIRA INVASÃO FRANCESA
O tempo corre, permanece a memória. Quem por aqui vivia, há 200 anos, enfrentou tempestades e sofrimentos de que ainda nos chegam os gritos.
Um exército estrangeiro invade e arruína, os mandantes caem de joelhos e acabam por fugir, o povo aturdido ensaia a resistência.






Estava-se em 1807. Napoleão, Imperador dos franceses, varria a Europa Central com a política do ferro e do fogo. Nada parecia resistir. Mas faltava-lhe aniquilar a Inglaterra. Esta, protegida na ilha e senhora dos mares, não se deixava dominar e exigia de Portugal que fosse um aliado fiel.

Depois de dominar a Espanha, Napoleão pensava que Portugal seria um alvo fácil. Assina em Fontainebleau o vergonhoso tratado que divide Portugal pelos franceses e pelos espanhóis. E no início de Novembro de 1807 envia um exército de 25 000 homens, comandado pelo General Junot, que entra em Portugal pela Beira Baixa.


Em Portugal reinava o Príncipe Regente D. João, em nome de sua mãe, D. Maria I, que havia enlouquecido.
Sabendo que o exército francês queria aprisionar a Família Real, os Ingleses aconselham a que esta se retire para o Brasil, garantindo assim a continuidade da soberania portuguesa.

Esta solução foi aceite mas surgiu aos olhos do povo como uma fuga cobarde diante dos invasores. O Príncipe Regente aconselhou os portugueses a receberem o exército francês como amigo…

CRONOLOGIA
19 Nov 1807: exército de Junot entra em Portugal.

27 Nov 1807: embarque da Família Real, nos navios para o Brasil. Com ela fogem mais de 15 000 pessoas: nobres, clérigos, militares, juízes, comerciantes, burgueses, com as famílias, os criados e uma imensa bagagem. Mas uma tempestade não permite a partida.

29 Nov 1807: a tempestade acalma e os navios saem da barra do Tejo.

30 Nov 1807: Junot chega a Lisboa, à frente de um pequeno exército de cerca de 800 homens. O resto ficara para trás, desorganizado pelos temporais e os maus caminhos.
Junot fica furioso por não conseguir aprisionar a Família Real portuguesa.

13 Dez 1807: a bandeira francesa é hasteada no Castelo de S. Jorge, em Lisboa. O povo revolta-se contra os franceses.
Começa a resistência aos invasores, que se vai espalhar pelo país ao longo do ano seguinte.

Agosto 1808: as tropas inglesas, auxiliadas pelos portugueses, derrotam os franceses nas batalhas de Roliça e Vimeiro.


30 Ago 1808: é assinado um vergonhoso acordo de paz entre os ingleses e os franceses, na Convenção de Sintra. Este acordo permite que os franceses abandonem Portugal levando o produto dos roubos e saques que haviam feito desde que entraram em Portugal. Permite, igualmente, que ganhem tempo e se reorganizem para uma nova invasão, a qual acontecerá em 1809, no Norte do País.

( Pode ver também: LUGAR ONDE, Novembro 2008, AQUI.)

2 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon, Meu Amigo,

Quando a "nossa" cronologia estiver publicada...vais ser o pri meiro a receber um exemplar.
Prometo!!!!

Méon disse...

Agradeço desde já, Avelã.
Noite serena.