3.3.08

OS OLHOS RASOS DE ÁGUA


Cansado de ser homem durante o dia inteiro
chego à noite com os olhos rasos de água.
Posso então deitar-me ao pé do teu retrato,
entrar dentro de ti como num bosque.

(...)

Eugénio de Andrade

5 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,

"com os olhos rasos de água", sim!!!

MT disse...

«...como se não doesse o que doía/na própria dor tingida de alegria.»(V.G.Moura)

Como os POETAS se entendem e completam!!!

Méon disse...

Avelaneiraflorida:

Há versos que nos comovem profundamente!


-----------------------------------

mt:

VGM é um deles. Obrigado pela sugestão. Virá aqui proximamente...

Anónimo disse...

este poema é de grande profundidade!revejo-me nas palavras

LeniB disse...

Partilho contigo o enorme prazer de ler Eugénio de Andrade...