15.12.07

NO FECHO DO CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE MIGUEL TORGA


Sobre a ponte insegura é que é passar!
Fica o rio a corre dentro das veias.
Quanta angústia levar,
Quantas areias
De oiro
Ou de ilusão,
É como se nos fossem afogar
A inquietação.

Arcos de ferro ou de granito
E sólidos soalhos de varanda
Não me parecem piso de quem anda
A descobrir as formas imprecisas
Desta humana aventura.
Só de credo na boca vale a pena
Olhar a vida, que da sepultura
Nos acena.


Miguel Torga





3 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Um final de tarde...com Torga e uma imagem LINDA!!!!

Só assim valerá a pena "olhar a vida" como o poeta nos diz!!!

UM BOM FIM DE SEMANA, Méon, Meu Amigo!!!!

Méon disse...

Passar a ponte, chegar à outra margem...

Obrigado, igualmente para ti.

Azul disse...

Olá meu caro amigo. Venho agradecer-lhe as visitas recentes aos m eus espaços. Saiba que é um orgulho e motivo de satisfação tê-lo por lá. De passagem pelosultimos pedaços de si, partilhados por aqui, ressalvo para já, com um aplauso o post de dia 12 de dezembro - "È assim que me sinto!" De facto, os portugueses deixam muito a desejar quando se trata de pensar, reflectir, criticar... construir não é com eles! definitivamente! Saiba que não está só, na sua desilusão!

Queria pedir-lhe que visite, se quiser e puder é claro, um blog de um amigo que, creio que com o incentivo certo, nos poderá ajudar a rir. faz isso por mim? deixo-lhe a morada.

Até breve. Um abraço para si. Azul

www.boodega.blogspot.com