27.1.08




Vou:
disperso nas horas
incerto nos passos.

Rezo:
Vida, havias de trazer horas brutais,
horas abertas,
rasgadas por minhas mãos ansiosas
de lúcidos temporais!

Penso:
se as não rasgar por minhas mãos
a Vida não as dará jamais.



(Manuel da Fonseca)




2 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,

Manuel da Fonseca...por aqui,
e com uma bela fotografia!!!!

Méon disse...

Manuel da Fonseca: o regresso à simplicidade de uma poesia humanista.
Dia bom!