22.6.08

OFERENDA


A pura oferenda é uma paisagem indefesa
como um trigal
ou como o ofício arcaico e sublime de cultivar
rosas ou prolongar o canto na aura do corpo.


O que magnifica a colheita do amor
é comparável ao esplendor de um mapa
(na saudade de viagens)
ou à contaminação do mundo pelo rumor claro
do teu riso.


************************************


ÀS VEZES ERA DESATENTO

Acreditava nos ofícios vagarosos
no pouco que sabia
e ia esquecendo


às vezes, era desatento
deixava ínfimos vocábulos
nas margens das folhas
ou em conchas
ciosamente roubadas ao mar.

Ainda é possível abrir a caixa do correio e encontrar um envelope com a direcção manuscrita: foi o meu querido amigo Fernando Jorge Fabião que me visitou de novo. Lá dentro vinham frutos do seu pomar. Frescos e saborosos como só os dele!
Partilho-os com os amigos...

(Poemas de Fernando Jorge Fabião.
Imagem: reprodução de Camille Pissarro, 1886)

6 comentários:

Xantipa disse...

Que belos frutos esses do seu amigo! Continue a partilhar connosco!
:)
Bom domingo!

Méon disse...

Xantipa:

Obrigado. O Fernando é uma pessoa linda que escreve coisas muito boas. Como os frutos!
Disse-me que tem dois livros prontos, não sei se e como os vai editar. Um dia destes falo com ele ao vivo, para saber...

Bom domingo tb para si.

avelaneiraflorida disse...

Méon,

e os frutos refrescam o sentir!!!!
Fabião transforma os frutos em oferendas ... e tu partilhas-as connosco!!!!
"BRIGADOS"!!!!

Méon disse...

Avelã:

Partilho-as porque sinto que os meus amigos sabem apreciar...
Tudo isto é inter-activo...
Bjnh

Cartas a Si disse...

Gostei muito da oferenda do seu amigo, obrigada por partilhá-la connosco.

Em tempos também troquei desses frutos com uma amiga, mas o tempo passou, a distância foi aumentando e as cartas deixaram de surgir na caixa do correio. Quem sabe se não me inspiro com as bonitas palavras do seu amigo e volto a escrever-lhe.

Méon disse...

Voltar à caixa do correio. Ter o tempo necessário para escrever à mão, ir ao correio...

Porque não?

Obrigado. Esta é a minha maneira de escrever "cartas a si"