30.6.08

Recordar Álvaro Guerra


Nascido em Vila Franca de Xira, em 1936, onde faleceu em 2002.
As suas cinzas foram lançadas ao Tejo. Escritor, diplomata, jornalista, resistente pela liberdade. Em 1991 publicou este romance histórico, escorado em minuciosa investigação, que relata factos passados na 1ª invasão francesa, de que comemoramos o bicentenário.
Vale a pena lê-lo, pela qualidade da escrita e pelo poder de evocação histórica. Começa assim:




Manoel da Silveira Maldonado atira a manápula à taramela do portão e invade o pátio a sacudir a chuva do capote. Grita pelo cocheiro e pelo preto Tomé, numa pressa. O vozeirão sai-lhe de comando, como no tempo em que serviu de alferes no exército do duque de Lafões, durante a famigerada guerra das laranjas. A noite está a cair de repente em grossas cordas de água. Atarantado, o preto, e zonzo o cocheiro, saem dos fundos do pátio sob a carga de chuva, enquanto Manoel pede, aos brados, que raios partam o dilúvio. Aos alvores, sege e carroção engatados, carregar os baús do sótão. Agora não, ó cavalgaduras! Amanhã, depois de aparelhar as carripanas. E vira as costas, galga as escadas de pedra que desembocam sob o alpendre, à porta de casa, uma porta rija e pregueada com grandes cravos. Quase metálicas, as notas do clavicórdio vêm da sala fustigar-lhe os nervos. Um minueto de Buccarini, coisa passada de moda. Atira o capote ensopado para os braços de Josefa e estaca à porta do salão, de pernas afastadas e polegares enfiados nas algibeiras do colete. Musicata, hein! E os franceses à porta não tarda nada. Talvez agora nos aproveite a prática do seu francês com essa corja dos anti-Cristo!
Mariana suspende as mãos sobre o teclado, enfrenta os olhos irados do irmão e, sem deles desviar os seus, ataca os primeiros acordes da Marselhesa.


"RAZÕES DO CORAÇÃO - Romance de paixões acontecidas em Mafra ocupada pelos franceses no ano de 1808"

5 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,

um excerto que nos desperta a vontade de ler!!!!
Razões mais do que suficientes para que o façamos!!!!

Beijinho.

Méon disse...

Avelã:

Estou a relê-lo e acho-o melhor agora...
Qualidades de vinho do Porto?...
Bjnhs

Xantipa disse...

Este bicentenário é sempre uma boa razão para ler estas coisas!
:)
A mudança de Mariana de Buccarini (não será Boccherini?) para a Marselhesa, sem desviar o olhar do irmão, é deliciosa!
:)
Beijinho

Méon disse...

Xantipa:

Sim deve ser o Boccherini, mas usei a grafia que está no texto (ed. do Público, col. Mil Folhas.

Espero que as obras em casa tenham avançado...
Bj

Xantipa disse...

Os acabamentos vão avançando, mas não à velocidade que eu queria...
Bj