9.6.09

EU SÓ QUERIA PERCEBER...


Sim, eu só queria perceber qual a lógica dos partidos que temos quando usam os resultados eleitorais.
Olho para os números e vejo que a abstenção foi de 63%. Quer dizer que os votantes foram 37%.
Em cada 100 portugueses só votaram 37! Nem metade, portanto. Muito longe disso.
67 pessoas ( em cada 100) ficaram em casa, recusaram-se a ir às assembleias eleitorais.
Qualquer partido democraticamente responsável deveria partir daqui para uma reflexão urgente: PORQUÊ esta atitude de não participação no acto eleitoral?

Mas não! Lá dizem umas palavras convencionais de lamento pelo elevado número de abstenções e logo a seguir passam ao ataque, arvorando-se em vencedores, em profetas iluminados pela sua verdade.
Vejam-se só estes exemplos, por mais gritantes:
O PSD teve 31,69% dos votos expressos: 31% de 37%! Mas considera-se um vencedor! Engrossa a voz, define os parâmetros da governação, emite juízos definitivos e irrevogáveis.

A CDU teve 10,66% de 37%. Mas considera-se vencedora! Fala dos "trabalhadores e do povo" como se ela fosse a única representante de uma massa esmagadora de explorados e oprimidos, pronta a levar o país para o paraíso onde "nunca mais haverá exploradores" nem "grande capital". Mais: ignora ostensivamente outra força política da sua área, que até teve mais votos, como se não falar do BE fosse a maneira de destruir a sua existência.


Quem defende a democracia pluralista preocupa-se necessariamente com esta abstenção. Tenta perceber a sua razão. Porque ela, na sua expressão tão elevada, não significa indiferença, comodismo, ignorância. Acho que significa muito mais:
É UMA ATITUDE! É uma mensagem aos políticos: «não alinhamos nas vossas encenações, nos vossos jogos de poder, nas vossas análises simplistas e unilaterais, no vosso autismo partidário.»
Se juntarmos aos abstencionistas os mais de 100 mil votos nulos e em branco; e os mais de 10% dos que, votando, o fizeram nos pequenos partidos, o que é que temos? Uma realdade bem diferente da que nos mostram estes nossos políticos.
Teremos de concluir que padecem de cegueira política?
Se sofrem dessa doença, só temo que seja incurável. Porque é da História: é dela que nascem as ditaduras.

3 comentários:

Avelaneira Florida disse...

Méon,

pena os políticos serem, normalmente, menos bons alunos a História!!!!
Digo-o muitas vezes aos meus alunos!!!!

a História não é só passado!!! Ela permite reflectir sobre o presente e preparar o futuro!!!!!
Portanto um estudo aplicado, por parte dos políticos, nessa área não lhes faria mal nenhum!!!!

E os erros da História podem evitar-se se percebermos que as condições que os podem criar estarão a ser conjugadas!!!
Reflexão com seriedade, precisa-se!!!

Beijinho.

Francisco Rodrigues disse...

É preocupante! Alguns países, não muitos, têm o voto como obrigatório. Se calhar não era mal pensado. Pois se é verdade que os Partidos estão mal e parecem assobiar para o lado perante a enfermidade do contexto eleitoral abstencionista, também não o é menos que a maioria de nós se está a esquecer de uma parte dos seus deveres enquanto cidadão.

Andradarte disse...

Não é para perceber a lágica dos partidos...Desista.
Só há que esperar, que não cheguem tão longe.
Abraço