8.10.07

***** MARGEM QUE NOS LIGA *****


DESENHOS
Estou diariamente à tua espera
Como quem espera um astro pela noite.
Defino-te em segredo.
Revejo-te na memória.
Desenho a tua fronte nas estrelas.
Invento-te.
Construo a tua boca sem palavras.
Construo este silêncio em que me prendo.
Passas diante de mim
- uma forma sem contornos
Te inicia.
Constróis-te
Como se foras brisa.
Dissolves-te
Como se dissolve a areia.
E na margem
Que nos liga
Nosso sonho principia.
João Rui de Sousa, «Fogo Repartido»

4 comentários:

avelaneiraflorida disse...

Méon,

QUE POEMA LINDISSIMO!!!!

O que a mãe natureza ensinou ao homem: um rio pode não ser um obstáculo entre as suas margens...basta construir uma ponte ou simplesmente, de madeiros, uma jangada!!!!!!

FELIZ DIA, PARA TI!!!!!!

Méon disse...

Avelã:
Nas margens é possível olhar para o outro lado do rio e encontrar o reflexo desse olhar...
É esse o sonho.

Professorinha disse...

"Estou diariamente à tua espera"...

Espero que alguém venha ao encontro... esperar sem que essa espera chegue ao fim é uma espera triste...

Fica bem

Professorinha disse...

"Estou diariamente à tua espera"...

Espero que alguém venha ao encontro... esperar sem que essa espera chegue ao fim é uma espera triste...

Fica bem